sexta-feira, 21 de julho de 2017

O que pode doer mais senão
A inexistência da reciprocidade?

Amar sem ser amado,
Sofrer por ser rejeitado,
Do coração não ser senhor,
E a mercê de seus caprichos
Perecer

A incerteza do retorno,
Quando se dá e nada se recebe,
A voz que grita e não encontra coro
Quando se sente mas não há sentido
Em um querer que não procede

Ah! Sofrimento,
De uma alma ímpar,
Que pena ao relento
A procura do seu par

De todas as perguntas
Que já foram feitas
Nem todas têm as repostas
Que se deseja,
E, a maior delas,
Segue a nos inquietar:
Por que se ama
Quem não nos pode amar?

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Politicagem Alimentícia

E nessa briga
Entre embutido e salgado
Quem paga o pato
É quem pouco ou nada
Tem no prato

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Não Te Quero Nua

Não te quero nua,
Te quero despida de mentiras,
Com teus sentimentos à mostra

Sem jogos, sem mistério,
Apenas tua alma, verdadeira,
Teus olhos a me fitarem,
Amor sobremaneira

De que adianta o corpo nu
Se dos sentimentos nada se sabe?
Muito antes mil vestes e paixão
Transbordante,
Que nem cabe

terça-feira, 21 de março de 2017

Erro Meu

Foi erro meu, sim,
Confesso,
E me arrependo

Sofro assim,
Pela tua indiferença,
Pudesse eu voltar no tempo,
Desfaria tal desavença

Não sou senhor do passado,
A este ninguém controla,
Mas sou dono do meu presente,
Por isso peço encarecidamente:
Me perdoa

Se por acaso do destino
Teus abraços não mais puder sentir
E assim, privado de alegria,
Incapaz de sorrir,
Prefiro eu perecer
A teus olhos cor de jade
Nunca mais poder ver

segunda-feira, 13 de março de 2017

Onde foi que eu me perdi,
Que já não me encontro mais.
Por que não posso ser assim,
Tal qual os demais?
Antes fosse eu centrado
E agisse com razão
Mas quem disse que é sensato
O homem que tem coração?
Ai de mim, e confesso
Me esforço, mas lhes digo,
Sofro sim, não minto,
E me desfaço.
Quantos de vocês
Já sofreram por sentir demais
Mas fingem, ignoram
Simulam não serem iguais?
Pois eu sofro sim
Não minto, sou sincero
Prefiro me expor ao ridículo
Do que sofrer em silêncio.
Sinto, logo existo.
Bêbado, ridículo.
Riem de mim?
Pois eu, em minha verdadeira essência
Um fracasso, em decadência
Mas sincero, e verdadeiro
Digo àqueles que ouvem,
Covardes, ridículos,
Eu que rio de todos vocês
(Em silêncio)

terça-feira, 7 de março de 2017

Por que diabos sou assim?

Onde está o diabo
Senão dentro de mim,
A cada soluço me engasgo
Por que diabos sou assim?

Vivo à margem
De minha própria existência
Minha mensagem, tão breve,
Carece de essência

Morro de véspera e sou servido
À mesa daqueles que me consomem
Sou projeto de homem
Por que diabos sou assim?

Por vezes sou alheio
Ao mundo que me cerca
Mas do universo dentro de mim
Faço minha própria Meca

Vivo de felicidade deletéria
Se a pressão da vida se eleva
Meu sangue irrompe das artérias
E minha verdadeira essência se revela

Sou imperfeito, inacabado
Versão alfa, quando muito, beta
Um grito silenciado
Em meio a multidão desperta

Que espécie de humano sou
Senão gado do homem?
Ou sou apenas o que restou
Do rascunho que fui ontem?

sexta-feira, 3 de março de 2017

Impressões: MUCC - Myakuhaku


Contrariando minha impressão inicial, Myakuhaku é um bom álbum. Não é um álbum catchy, daqueles que se gosta de primeira, e me rendeu algumas audições até chegar a essa conclusão, de forma que as músicas só foram crescendo no meu gosto a cada vez que as escutava.



Pontos fortes do álbum:

  • A faixa título, Myakuhaku, que tem todo um feeling MUCC das antigas, mas mantendo as características da fase atual da banda, ponto positivo;
  • Zettaizetsumei, segue o mesmo estilo, com um skazinho maroto que os fãs das antigas já conhecem;
  • Classic, um dos singles, abertura de anime, bem catchy e tal, mas né, jabazão total;
  • Ringo, tem um reggaezinho massa, lembrando um pouco sons antigos da banda;
  • Wasurenagusa é a baladinha da vez, pra quem curte;
  • Heide, outro single, musiquinha feliz, me gusta.


Pontos fracos do álbum:
  • Himitsu e Commune, parecem mais duas b-sides e não acho que mereciam estar num álbum. MUCC já fez b-sides muito melhores que essas duas canções (Akanezora e Touei que o digam, entre tantas outras);
  • Killer, uma b-side do maxi-single Heide no álbum. Achei filler;
  • Yue Ni Matenrou (ALBUM MIX) - um single de 2014 num álbum de 2017. A música não é ruim, mas achei muita preguiça.

As outras músicas são ok e não tenho muito o que falar delas por agora. Preciso escutar mais, talvez.




Por fim, Myakuhaku traz, mesmo que por vezes discretamente, um resumo do MUCC ao longo desses 20 anos. Um bom álbum. Porém, eu sinceramente esperava mais de um álbum de comemoração de 20 anos de uma banda do porte de MUCC.

Tracklist:

01. Myakuhaku
02. Zettaizetsumei
03. CLASSIC
04. KILLEЯ
05. BILLY x2 Entwines ROCK STARS
06. Ringo
07. EMP
08. Yue Ni Matenrou (ALBUM MIX)
09. Himitsu
10. Commune
11. Wasurenagisa
12. Sirius
13. Fuka
14. Heide